Quem sou eu

26 de mar de 2010

A resposta da Skol sobre as latas no fundo do mar em ação pobre e mal divulgada - Por Sandra Campos

A Skol tenta se livrar da repercussão negativa sobre a marca com a matéria sobre o lixo no fundo do mar nas praias de Salvador.

Recebi de um amigo um post no blog Brainstorm, que começa com um texto fraco sobre o carnaval e depois passa para o foco principal do assunto, que é uma ação que será desenvolvida pela Skol nas praias de Salvador, onde alguns mergulhadores entrarão nas águas da Praia da Barra e catarão as latinhas no fundo do mar. Mais de um mês depois da festa. Será que ninguém se lembra que o mar tem correntes marítimas? Ou todos acham que as latinhas estão todas ali, ainda!

Engraçado...não ouvi nada aqui a respeito disso, não houve divulgação desta ação e tampouco as pessoas estão comentando.

O que mais me entristece como ser humano é que é nítido que a Skol apenas está tentando limpar a repercussão negativa que ficou gravada nas imagens divulgadas na matéria “O fundo da folia!”, escrita por Bernardo Mussi com fotos de Francisco Pedro e divulgada pela ONG Global Garbage, sendo posteriormente repassada através de blogs e sites.

Por que a Skol não pega uma parte da sua verba de marketing para publicidade e não investe pesado nessa conscientização? Por que ela não usa seu poder, junto com a AMBEV para resolver essa questão de uma vez junto com Prefeitura de Salvador, Governo do Estado, blocos e artistas de carnaval e a Organização do Carnaval de Salvador e festas similares que ocorrem na praia?
Ridículo! É um “cala a boca” pobre em ação mal feita, menosprezando a inteligência de quem está disposto a fazer alguma coisa.

Vamos lá pessoal da Skol, se liguem, já que vão fazer publicidade em cima do caso, façam direito! Cobrem dos artistas, governantes, mídia local, organização do carnaval, enfim, cobrem atitudes de quem ganha dinheiro com a festa, para que nos próximos anos isso não se repita, pois essa é a verdadeira ação, conscientizar e evitar a mesma história.

4 comentários:

  1. Adorei o texto e concordo plenamente.
    Uma pena que a maioria das pessoas acha essa ação o máximo!
    Decidir montar uma puta ação de mutirão logo após a questão ser veiculada na imprensa é bem conveniente, né? Pena que não resolverá ou mudará o problema em si.

    ResponderExcluir
  2. é realmente muito triste ver que as pessoas e, o pior, os grandes Orgãos estão mais preocupados com a sua própria imagem do que com o PLANETA, com a natureza, com o futuro de todos nós...
    Concordo com o texto e me ponho à disposição do Blog para qualquer movimentação e/ou divulgação ( já a faço atraves do meu Blog ) que seja necessária!

    ResponderExcluir
  3. Oi Sandra!

    Escrevemos no site do Global Garbage sobre o seu comentário bem colocado, depois da ação Skol em cima do que a Global Garbage FEZ de maneira isenta.O fotografo Francisco Pedro é da Global Garbage e partiu dele a ideia desse dia ´bem passado´.Essa ação isenta mostra que nem tudo tem que ser movido a patrocinio, mas se houver,que seja para ficar bem marcado e constante.
    É que nem os fabricantes de pilhas...tinham que ser eles a bancar recipientes proprios para coleta de pilhas usadas e evitar o que se vê por aí....pilhas vazando veneno em todo o lado, incluindo o mar.Tem que virar lei a obrigação dos produtores de embalagens de ter pontos de recolha para reciclagem por todo o lado
    Bem vindo o seu blog!

    ResponderExcluir
  4. Sandra,

    parabéns pelo blog e apoio você plenamente. A situação é mais uma prova que os empresários não se preocupam com a manutenção da biodiversidade e que o lixo jogado nas ruas ou nos mares podem causar a população.

    willian_fraga@hotmail.com

    ResponderExcluir